Revelação Progressiva

Seleção das Escrituras Bahá’ís

Nenhuma coisa criada haverá de atingir seu paraíso, a menos que apareça no mais alto grau de perfeição que lhe foi prescrito. Por exemplo, este cristal representa o paraíso da pedra da qual se compõe sua substância.. Outrossim, há várias etapas no paraíso para o próprio cristal… Enquanto era pedra, não tinha valor, mas se atingir a excelência do rubi – potencialidade essa, nela latente – quanto não valerá por quilate? Considerai, do mesmo modo, cada coisa criada. A mais alta posição do homem, entretanto, é atingida através da fé em Deus em cada Era e pela aceitação daquilo que foi por Ele revelado e não por meio da erudição; pois há em cada nação homens eruditos, versados nas diversa ciências. Nem pode ser atingida através da riqueza, pois de modo igual, evidentemente, há entre as várias classes em cada nação aqueles que possuem riquezas. Assim é, também, com outras coisas transitórias. O verdadeiro conhecimento, pois, é o conhecimento de Deus, e este não é outro, senão o reconhecimento de Seu Manifestante em cada Era.. Nem há riqueza alguma, a não ser na pobreza em tudo, salvo em Deus – consiste em se ser santificado de tudo, menos d’Ele – estado esse, que se pode realizar somente quando demonstrado para com Aquele que é o Alvorecer de Sua Revelação. Não quer isso dizer, entretanto, que se não deva prestar louvor às Revelações anteriores – o que de modo algum é aceitável, assim como cumpre ao homem, quando alcança a idade de dezenove anos, render graças pelo dia de sua concepção, em estado embrionário. Pois se o embrião não tivesse existido, como haveria ele alcançado seu estado atual? Igualmente, se não tivesse existido a religião que Adão ensinou, não haveria esta Fé atingido sus presente condição. Assim, considera tu o desenvolvimento da Fé de Deus até o fim que não tem fim. V,4 (Seleção dos Escritos do Báb p.94)



Contempla tu com a vista interior a corrente de sucessivas Revelações que ligou a Manifestação de Adão com a do Báb. Dou testemunho perante Deus de que cada um desses Manifestantes foi enviado através da operação da Vontade e Desígnios Divinos, que cada um foi o Portador de uma Mensagem específica, que a cada um se confiou um Livro divinamente revelado e incumbiu de desvendar os mistérios de uma Epístola, poderosa. A medida da Revelação com a qual cada um d’Eles se identificava fora definitivamente preordenada, Isso, em verdade, é sinal de Nosso favor a Eles – se sois daqueles que compreendem esta verdade… E quando esse processo de Revelação progressiva culminou na etapa em que Seu Semblante sem igual, o mais sagrado e excelso, haveria de ser desvelado aos olhos dos homens, dignou-se Ele ocultar Seu Próprio Ser atrás de mil véus, para que olhos profanos e mortais não Lhe descobrissem a glória. Isso Ele fez num tempo em que sobre Ele manavam sinais e evidências de uma Revelação ordenada por Deus – sinais e evidências que ninguém pode avaliar, salvo o Senhor, vosso Deus, o Senhor de todos os mundos. E ao cumprir-se o tempo determinado de ocultação, fizemos aparecer, enquanto ainda envolto dentro de uma miríade de véus, um infinitésimo vislumbre da fulgente Glória que envolve a Face do jovem, e eis que a inteira companhia dos que habitam nos Domínios do alto foi acometida de violenta comoção e os favorecidos de Deus se prostraram em adoração diante d’Ele. Verdadeiramente, Ele manifestou uma glória tal que ninguém na criação inteira jamais viu, desde que se levantou para proclamar, em pessoa, Sua Causa a todos os que estão nos céus e todos os estão na terra.
(Seleção dos Escritos de Bahá’u’lláh XXXI.)