Sabeismo

harran
* Os textos abaixo foram traduzidos por Bijan Ardjomand (2004)

A religião dos sabeus no Tanach

Assim diz Javé: Passarão para as mãos de você e serão propriedade sua a riqueza do Egito e as mercadorias da Etiópia, e também os sabeus, aqueles homens altos. Irão caminhando atrás de você, acorrentados, se ajoelharão a seus pés e suplicarão, dizendo: “Deus está somente com você e não existe nenhum outro, não existem outros deuses”.

Isaías 45,14

 

A religião dos sabeus segundo a Tradição Islâmica:

Existe três referências aos sabeus no Alcorão (2,62; 5,69 e 22,17): “Os crentes, os judeus, os sabeus e os cristãos, que crêem em Deus, no Dia do Juízo Final e praticam o bem, não serão presas do temor nem se atribularão”. (5,69).

“Os politeístas costumavam dizer do profeta e seus companheiros: ‘estes são sabeus’, comparando-os a estes, porque os sabeus que habitavam Jaziratal-Mawsil (hoje conhecido como Iraque) diziam ‘não há Deus senão Deus’.”

Abd al-Rahman ‘ibn ‘Zayd (798 A.D.)

 

“Eu vi o profeta quando eu era pagão. Ele estava dizendo ao povo: ‘se desejais salvar a si próprios, aceitai que não há outro Deus senão Allah’. Neste momento eu notei um homem atrás dele dizendo ‘ele é sabeu’. Quando perguntei a alguém quem ele era, respondeu-me que era Abu Lahab, seu tio.” Da relação entre os sabeus que viviam em Sawad (Iraque) e Muhammad, há a menção de que ouviu-se os politeístas de Meca dizerem que Muhammad “tornou-se sabeu.”

‘Ibn Jurayi (767 A.D) and ‘Ata ‘ibn Abi Rabah (732 A.D.)

 

” Ele (Muhammad) é um Sabeu”

‘Ibn Jurayi (VII século)

 

O profeta e seus companheiros são aludidos como “estes são sabeus”, comparando Muhammad aos sabeus…

‘Abd al-Rahman ‘ibn Zayd (798 AD)
(The Knowledge of Life by Sinasi Gunduz – Journal of Semitic Studies)

 

Nos Textos Bahá’ís são mencionados:

“O número nove que em si é o número da perfeição, é considerado sagrado pelos bahá’ís porque simboliza a perfeição da Revelação Bahá’í, a qual constitui a nona na linha das religiões existentes, a mais nova e a mais completa Revelação que o gênero humano já conheceu. A oitava é a religião do Báb e as sete restantes são: hinduísmo, budismo, zoroastrismo, judaísmo, cristianismo, Islã e a religião dos sabeus. Essas religiões não são as únicas religiões verdadeiras que surgiram no mundo, mas são as únicas ainda existentes. Sempre existiram Profetas e Mensageiros muitos dos quais são referidos no Alcorão. Mas os únicos atualmente existentes são os acima mencionados.”

(De uma carta escrita em nome do Guardião a um crente, 28 de julho de 1936 – Bahá’í News, no. 105, fevereiro de 1937, p. 2) (Compilação Lights of Guidance (1983) # 829)

 

“Em relação à sua pergunta a respeito das religiões sabeana e hindu, não há nada nos ensinamentos que possa nos ajudar a afirmar qual dessas duas Fés é mais antiga

(De uma carta escrita em nome do Guardião a um crente, 9 de novembro 1940) (Compilação Lights of Guidance (1983) # 1000)

 

“Quanto à religião dos sabeus muito pouco se sabe sobre as origens dessa religião, embora nós bahá’ís tenhamos a certeza de uma coisa: que seu fundador foi um Mensageiro divinamente enviado. O país em que o sabeísmo se difundiu e floresceu foi a Caldéia e Abraão é considerado como tendo sido seguidor dessa Fé.”

(De uma carta escrita em nome do Guardião a um crente,, 10 de novembro de1939)

 

 As nove religiões sobre as quais faz referência, incluem as Dispensações Bábí e Bahá’í. Bahá’u’lláh sendo o nono Profeta nesta série. Os outros Profetas inclusos são: Zoroastro, Krishna, Moisés, Cristo, Muhammad, Buda, o Profeta dos sabeístas cujo nome não foi registrado, o Báb e Bahá’u’lláh. Buda apareceu no ciclo adâmico.

(De uma carta escrita em nome de Shoghi Effendi – 13 de julho de 1938)

 

Com relação à afirmativa de Mírzá Abu’l-Fadl, em seu livro The Bahá’í Proofs, de que as grandes religiões do mundo, excluindo as Dispensações do Báb e de Bahá’u’lláh, são sete, o que o autor quis dizer com esta afirmativa é que existem apenas sete grande religiões dos quais há algum traço ou registro, e não que até agora somente sete religiões surgiram no mundo. Estas sete religiões, mencionadas por Mírzá Abu’l-Fadl são as seguintes: Zoroastrismo, Budismo, Hinduismo, Judaísmo, Cristianismo, Islã, e a religião dos sabeus que era originalmente monoteísta, e aos poucos corrompeu-se, e à qual acredita-se que os ancestrais de Abraão pertenceram.

(9 de julho de 1939 a um crente) (A Casa Universal de Justiça, 6 de agosto de 1996)